terça-feira, 22 de dezembro de 2015

MICROCEFALIA DE GÊNERO


Marisa Lobo  Sobre a publicação de Toni Reis:



"Donos do mundo? Esse cidadão nesta sua Página, está claramente induzindo ódio contra Cristãos. Sempre em tom de ameaça, querendo nos fazer parecer idiotas. Agora ELE quer CRIMINALIZAR o termo Ideologia de gênero. Usa a Conferência LGBTTs para desconstruitr o Gênero feminino, roubando as pautas das mulheres e ainda quer colocar uma mordaça em quem tiver uma opinião contrária? Tudo isso por causa do meu curso sobre ideologia de gênero. É MUITA CARA DE PAU. Amigx Menix...Já deu por hoje. Essa conferência NÃO TEM VALOR JURIDICO NENHUM...É MUITA CARA DE PAU..AMANHÃ EU MESMA VOU NO MP DENUNCIAR ESTE CARA."

Foto de Toni Reis.
Toni Reis
15 hCuritiba

III Conferência Estadual LGBT do Paraná - aprova a Moção por unanimidade -contra a utilização mal intencionada do termo falacioso "ideologia de gênero" para tentar impor uma agenda reacionária.

Denunciem no disque 100 e no 180 todos telefonemas são gratuitos.
III Conferência Estadual de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT do Paraná
MOÇÃO
Nós, delegadas e delegados da III Conferência Estadual de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT com o tema “Por um Brasil que criminalize a violência contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais”, reunidas no Hotel Estação Express, em Curitiba – PR, no período de 18 a 20 de dezembro de 2015, aprovamos esta MOÇÃO contra a utilização mal intencionada do termo falacioso “ideologia de gênero” para tentar impor uma agenda reacionária, retrógrada, fundamentalista e conservadora nos currículos da educação brasileira.
Justificativa:
A discussão sobre gênero na educação se remete principalmente ao papel que a educação desempenha nos debates e na construção da igualdade e da autonomia das meninas e das mulheres, e de pessoas com identidade de gênero feminina, inclusive para que se diminuam as altas taxas de violência e homicídio contra pessoas do gênero feminino. A discussão sobre gênero na educação também não pretende acabar com uma estrutura familiar tradicionalmente concebida, e sim apenas permitir que se reconheça a realidade da convivência concomitante de miríades de configurações familiares, igualmente válidas, que não busquem nada além de uma “comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa” (Lei Maria da Penha, Art. 5o , inciso II).
A reivindicação da abordagem do assunto de gênero na educação a fim de eliminar as desigualdades de gênero é fruto de mais de 20 anos de acordos e tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário; bem como processos democráticos brasileiros, em especial as Conferências Nacionais de Educação de 2008, 2010 e 2014.
É um desrespeito às milhares de pessoas que contribuíram para este processo, querer impor uma agenda reacionária, retrógrada, fundamentalista e conservadora nos currículos da educação brasileira, utilizando-se de uma estratégia de manipulação da opinião de seguidores de determinadas convicções religiosas ou morais, a partir da falsa premissa de “ideologia de gênero”.
Exigimos que os Estados e os Municípios cumpram os diversos Marcos Normativos já existentes voltados para a superação das desigualdades de gênero.
200 delegados (as) da III Conferência Estadual de Gays, Lésbicas, 


ASSIM PENSO

É  no mínimo estranho que quando não é a favor deles digam que queremos ...
"impor uma agenda reacionária, retrógrada, fundamentalista e conservadora nos currículos da educação brasileira, utilizando-se de uma estratégia de manipulação da opinião de seguidores de determinadas convicções religiosas ou morais, a partir da falsa premissa de “ideologia de gênero"”.

Será que pensam q TODOS como  eles, TEM cérebro pequeno?


Bote QUENTE, Marisa! Não recue jamais!







Nenhum comentário:

Postar um comentário