sexta-feira, 11 de março de 2016

A VERDADE LIBERTA

ACHEI POR AÍ__O advogado e compadre de Lula, Roberto Teixeira, protocolou um pedido de processo disciplinar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o juiz federal Sérgio Moro. Teixeira é o homem por trás de praticamente todas as transações imobiliárias do ex-presidente Lula desde os anos 90.

A representação aparece como uma iniciativa do Sindicato dos Advogados de São Paulo, mas foi requerida pelo advogado Roberto Teixeira, que coordena o núcleo de defesa do ex-presidente Lula. Teixeira acusa o juiz Sérgio Moro de ter feito "insinuações" em um relatório da Operação Lava Jato sobre o sítio Santa Bárbara, localizado em Atibaia, interior de São Paulo, cuja suposta propriedade é atribuída ao ex-presidente Lula.

A iniciativa de Roberto Teixeira foi veementemente repudiada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), maior entidade representativa de juízes do Brasil. A AMB considera ‘inadmissível’ a iniciativa do advogado de Lula, que, atravpes do Sindicato dos Advogados de São Paulo, uma entidade simpatica ao PT, em protocolar pedido de processo disciplinar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o juiz Sérgio Moro, que preside a Operação Lava Jato.

Para a AMB, o Conselho Nacional de Justiça não pode ser encarado como uma ‘instância recursal ou como caminho para cercear a autonomia da magistratura’.

“Tal medida evidencia mais uma forma de intimidação dos juízes em suas atividades estritamente jurisdicionais e indica possível tentativa de impedimento à atuação do juiz que está à frente das investigações da Lava Jato.” denunciou a entidade.

Em nota pública, assinada pelo presidente da AMB, João Ricardo Costa, a entidade destacou ainda que “A magistratura brasileira reafirma a sua confiança nas instituições, sobretudo no Poder Judiciário, e reitera que não se furtará diante de ações e manobras que venham a tentar paralisar o trabalho dos juízes no combate à corrupção.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário